Mais de 1 em 20 pacientes sofrerá algum tipo de iatrogenia, e a metade de todos os casos poderia ser evitada, concluem pesquisadores do Reino Unido em uma revisão sistemática que destacou especialidades complexas, como cirurgia e medicina de emergência, como sendo as de maior risco.
A Dra. Maria Panagioti, Ph.D., palestrante sênior do NIHR Greater Manchester Patient Safety Translational Research Centre da University of Manchester, e colaboradores, analisaram dados de mais de 330.000 pacientes em 70 amostras provenientes de todo o mundo.
Iatrogenias que podem ser evitadas são “um problema sério”
A pesquisa, publicada pelo periódico BMJ no dia 17 de julho, mostrou que 12% dos pacientes sofreram iatrogenias, dentre os quais 6% dos casos foram considerados evitáveis pelos pesquisadores.
Desses, 12% foram graves, causando incapacidade permanente ou morte do paciente. Quase metade foi de incidentes relacionados com medicamentos e conduta terapêutica e quase um quarto foi relacionado com procedimentos cirúrgicos.
A maior prevalência de iatrogenia evitável foi observada nos centros cirúrgicos e nas unidades de tratamento intensivo, e a menor foi registrada na obstetrícia, sem diferenças entre as diversas regiões do mundo.
A equipe escreveu que os resultados “afirmam que a iatrogenia que pode ser evitada é um problema sério nas unidades de saúde”.
Os pesquisadores disseram que as “áreas prioritárias” na luta contra o problema são a “atenuação das principais fontes de iatrogenia evitável”, como os incidentes com medicamentos e mais atenção às especialidades médicas complexas.
“É igualmente imprescindível reunir evidências em especialidades como o atendimento primário e a psiquiatria, entre os grupos de pacientes vulneráveis e em países em desenvolvimento”, bem como a melhora da “avaliação e notificação dos parâmetros de prevenção”.
Principal causa de morbidade e mortalidade
As iatrogenias sofridas pelos pacientes durante atendimento médico são uma das principais causas de morbidade e mortalidade, equivalente à esclerose múltipla ou ao câncer do colo do útero nos países desenvolvidos e à tuberculose ou à malária nos países em desenvolvimento, disseram os autores.
Com o crescente reconhecimento de que algumas iatrogenias, como as reações adversas aos medicamentos, não são evitáveis, houve maior concentração nas iatrogenias evitáveis.
Isso, escreveram os pesquisadores, pode englobar erros ou omissões de profissionais de saúde, falhas do sistema de saúde ou ambos.
Ressaltando que nenhuma das revisões sistemáticas sobre iatrogenia até então avaliou os casos evitáveis, os autores fizeram uma pesquisa nos bancos de dados Medline, Cinahl, Embase, Pubmed, WHOLIS, Google Scholar, SIGLE e PsycINFO.